2006-07-10

germania


CREPÚSCULO

Cai no pontão a noite
corpo que se une à cidade
trazes o pão o vinho
a mesa sobre os ombros
ao lado outros homens
regressam ao silêncio das casas
ao ranger das madeiras
aos tecidos moldados pelo tempo.

Da consciência bruta
um relâmpago fere agora o caminho
por que avanças solitário
preso às sombras e ao manto da noite
que te desenham o rosto e te apressam
o coração que cavalga no peito.

Para que vens, triste, até mim,
seguindo o fogo o abismo da noite
e os passos do poeta sagrado?

Mas é já tarde – troça o louco dentro de ti…

WOLFGANG

Junta-se à pele a palavra
(assim a visão do poeta)
que Goethe à frente do tempo
desde há muito anunciou:
um canto e solitário vinho
e um lume dentro do cérebro.

LIVRO DA MEMÓRIA

Superfícies intensas as da memória
quente contra o silêncio
do íntimo da casa das palavras.

Súbito cai o mel e uma pequena nascente
uma luz mais luminosa
rodeia o olhar infuso
confundindo-se na humidade do coração.

No pulsar das carótidas
acende-se então o lume
a pique dentro da casa
a pique dentro da fonte.

5 comentários:

Mendes Ferreira disse...

caio. a pique. sobre esta página.



como sempre. em êxtase.



P.s. não consigo entrar no blogue do Al...


deixo aqui um abraço para ele. beijos Martim.

konde disse...

Gostei. Abraço também!

francisca manson disse...

A pique em cima da "Ave". Boa-tarde!

porfirio disse...

boa noite amigo

:
já os conhecia pelo jornal, mas é sempre bom voltar a lê-los, tanto outra vez volvido certo tempo, melhor dito, conhecê-los como se fosse primeira vez.

abraço

martim disse...

isabel, eu entro no al. algo se passa no acesso. boa-noite. e bjos.