2006-05-01

a minha carne dentro da pedra

Graça Martins, 1982.

a minha carne dentro da pedra
torna-se líquen e cristal
de sabedoria.


agora é o tempo da iniciação.

6 comentários:

Mendes Ferreira disse...

boa noite Martim. obrigada.


__________________________aqui tudo perfeito.
__________________________quanto ao e. esqueça. desisti.
__________________________ beijo.

martim disse...

isabel, o que me diz é mera paragem para o avanço que espreita. boa-noite, isabel.

Francisca Manson disse...

Fabuloso trabalho plástico!

Mendes Ferreira disse...

não é não Martim....cheguei à conclusão serena de que tudo já foi dito e escrito. de um modo muito mais perfeito. não quero continuar!

beijo.

a.s. disse...

"fim"
a tristeza é a cona da morte
tem a testa alta e a boca funda
aparta os lábios e suga-me em saliva podre
bloqueia-me as guelras com os pelos púbicos
desata a cuspir-me insectos nos olhos
não consigo ver nada
ouço as paredes genitais a ranger
apertam-me os passos
segregam excremento
cheiram a merda
sinto-me mal, sabes?
estou triste por não morrer
*
estou em http://autopsiadadecadencia.blogspot.com
beijo,
alice

porfirio disse...

:
linda imagem, algo amniótica
,
grande haikku
.

abraço martim