2007-02-14

persistência

no ouvido um fio corre
do fundo poço vindo
e por um nervo escorre
o mar dentro da escarpa.

o tempo de heraclito é
um espaço pele do corpo
no extremo o sol na mão.

o fóssil rompe a pedra
que dentro de ti sangra.

como maré a vida é côncavo
buril e aresta na concha dura.

8 comentários:

conde disse...

A vida é o que é.Abraço.

isabel mendes ferreira disse...

persistentemente. no Instinto.



obrigada.



B.

Martim.


Y.

Bandida disse...

... aqui chego... pela mão de um instinto puro...

um nervo. um mar. uma escarpa.


envolvente este teu espaço. deitado num cobertor de instintos.



B.
____________________________

duque disse...

Persistência para glória nossa. Obrigado!

veritas disse...

"o fóssil rompe a pedra
que dentro de ti sangra."

Porque a vida traz...a vida leva, nunca se está preparado para as oscilações da consciência / inconsciência do ser...rasga o coração tomado por uma mão alheia e incoerente...

Bjs.

duke disse...

"um espaço pele do corpo" - excelente verso. Abraço!!!!!!!!!!!!

Su disse...

é e não é....

jocas maradas de ser

konde disse...

Longa vida para estes poemas... Abraços também...