2007-02-02

da memória as manhãs

a vibração nua dois minutos e uma estrada aberta
com uma pedra no centro e vermes em volta - a luz
e os astros iluminam o palco e a vida dois minutos
de morte como se a memória dos sons não fosse
a emergência dos principais objectos e lugares...

a fábula muda diz-se em dois minutos.

contra, funda a memória as manhãs
a crescente voz que ainda ouço.

13 comentários:

Mendes Ferreira disse...

e a fábula pode mudaR nua e pura
mas o que permanece sempre nua e clara é a memória deste seu som.


tocável e tocante. com as mãos. puras. andantes. iluminadas.



beijo matinal...


Martim.

Susana Barbosa disse...

Grandes e belas memórias!
Bjs

duk disse...

Vivam os Ramones!!!!

pn disse...

the pink fable of the dark world

bisou, compagnon des routes faites en écrivant, pas en marchant.

always!

(estás melhor?)

pn disse...

o VA tem o mentes tão armadilhado que nem lá entro...

porfirio disse...

boa tarde martim

«crescente voz»...
sem dúvida, with the Ramones

abraço

hfm disse...

a memória para lá dos dois minutos.

feniana disse...

lindo.muito.

conde disse...

Boa memória...

Mendes Ferreira disse...

re.voltei.



vibrato.


vivo.



vibro.




beijo.

Su disse...

and a say to myself.....


gosto destas palavras..

....as tuas.........

jocas maradas

duke disse...

Também boas memórias para mim... Abraço...

konde disse...

Muitas vezes também ando por aí. O texto poético é muito interessante....