2007-02-22

mitema

eis-me agora a sós contigo:
por ti tomo as águas e o ar
correndo sobre os seixos
antes que as gotas fendam
os pés e a fibra dos ossos.
servo vou ao chão e soergo
os olhos prenhes de chama
contra o transepto do corpo
vendo o que sempre fito...
neste dia sou límpido assim
antigo como papiro do nilo.

esta a mitologia a sós contigo.

10 comentários:

porfirio disse...

eis-te martim
:
momento
repleto
de mítica
.
.
.
adorável
gota: or-
valha-te

abraço

duque disse...

Fulgurante...

duque disse...

Fulgurante...

Vítor Amado disse...

Sempre sublime, sempre diferente.
Parabéns.
abraço

konde disse...

Belíssimo e, então, neste dia, como não? Maravilhoso poema! Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

hfm disse...

deixo-me com as palavras do poeta:

"neste dia sou límpido assim
antigo como papiro do nilo."

isabel mendes ferreira disse...

obrigada.












muito.





quem me dera ser um pouco de assim....


beijo.



Martim.


(quem me antecedeu disse tudo. ou quase).

duke disse...

Este texto é excepcional. Bem, este é especial... Também é sempre diferente, como já está dito...

Anónimo disse...

(como não canção...socorro é impossível resistir a tanto charme...substuindo ou acrescentando....a tanto talento...)


bom dia papiro de ouro.


beijo.


Y.

conde disse...

Fecunda mitologia... Muito bom mesmo...