2007-03-23

lume breve

na colina um corpo a pupila sinuosa
fende a cal os caminhos silenciosos
e derradeiramente trémula a mão
colhe as espigas do verão os lábios
húmidos tocando os dentes longos
brancos archotes dentro da estação
como se o fumo dentro da chaminé
anunciasse a pele o melhor vinho.

ferida dentro os cabelos e o mistério.

12 comentários:

Anónimo disse...

e de novo a ferida


que é tb mistério.


de lume.



como se houvesse um só destino...


beijo Martim.



Y.

Anónimo disse...

e a pele das colinas


longas as espigas....



________________longa a estação
onde recupero o sinouso lume...


e


boa noite.


Bjo.
y.

Vítor Amado disse...

Boa tarde,Martim!
A importância do corpo...
abraço

Su disse...

jocas maradas ...sempre--------

Susana Barbosa disse...

mas... lume.
bom domingo, Martim.
bjs

Ai meu Deus disse...

"...o melhor vinho". Isto entendo. Já não está mal, pois não?

Abraço.

veritas disse...

os lábios húmidos esperando a saciedade, as espigas semidoiradas instigando ânimos e desejos de mais...

Bjs. Bom fim-de-semana.

duk disse...

Mistério misterioso e beleza bela. Abraço!!!

Bandida disse...

doces mistérios.

é sempre tão belo o teu lume.



beijo Martim



B.
____________________________

duque disse...

Continua por aqui um grande e intenso fogo!!! Refrescante... ABRAÇOS!!!!

martim de gouveia e sousa disse...

ai meu deus, experimenta a leitura que proponho:
na colina, um corpo. / a pupila sinuosa
fende a cal,/ os caminhos silenciosos. /
e, derradeiramente, trémula a mão
colhe as espigas do verão, os lábios
húmidos tocando os dentes longos,
brancos archotes dentro da estação,
como se o fumo dentro da chaminé
anunciasse a pele, o melhor vinho.

ferida dentro, os cabelos e o mistério.


abrç

morffina disse...

Hmmmm! Mnhame! Mnhame!

Abraço
MF