2006-10-31

queda

húmida a língua
jaz na gaveta fechada
entalada nos dedos
fundos do mar.

nua a carne
devolve a pele
e um fio de sangue
cai a pique.

a mão na palma
trespassada.

5 comentários:

Susana Barbosa disse...

... de tão belas palavras, tão intensas, me chego a arrepiar nas pontas da noite...

a rasar o ceu disse...

...soubera eu "cair" assim"....

beijo Martim.

Franceska disse...

De novo, muito bom! Beijos!

duque disse...

Belo e estranho. Abraços!

adelaide amorim disse...

Que belo blogue você tem, Martim. Um abraço.