2006-10-28

outubro finda

outubro finda nos telhados
já sem zinco atravessados
pelos fungos e pelas frases

escuto ainda o furtivo amor
e a esquiva luz pelas janelas

o segredo que me dizes
é um corredor branco sem memória.

8 comentários:

Su disse...

jocas maradas de segredos

Franceska disse...

Belo, sem mais. E muitos beijos!

Susana Barbosa disse...

belíssimo.
vou levá-lo comigo :)

hfm disse...

Gostei muito. Comecei por querer destacar um verso - impossível - teria de destacar todo o poema.

a rasar o ceu disse...

furtiva a memória. branco o dia.

estala a luz. aqui.


abraço.


beijo.

Martim.

duke disse...

Sem palavras. Belo, não é?

konde disse...

Pois. Que dizer? Adorei! Abraço!

conde disse...

Muito Bom! Abraço!