2006-04-05

o fascínio em Samuel Beckett


Passam quase cem anos exactos sobre o nascimento de Samuel Beckett. As cerca de 900 páginas da excelente e modelar biografia Damned to Fame. The Life of Samuel Beckett de James Knowlson, publicada em 1996 pela londrina Bloomsbury Publishing, são prova evidente de que muitos escritores têm trajecto e obtêm da posteridade o reconhecimento. Aproximando-se assimptoticamente do silêncio e do contimento sintagmático, toda a criação beckettiana, assente num fascinante exercício de deserção, semelha o homem e a sua dor.
Miguel Esteves Cardoso, talvez o mais consistente conhecedor da obra do escritor irlandês no nosso país, traduz assim o poema "What is the word":
Que palavra será
loucura -
loucura porque -
porque -
que palavra será -
loucura disto -
tudo isto -
loucura de tudo isto -
dado -
loucura dado tudo isto -
visto -
loucura visto tudo isto -
isto -
que palavra será -
isto isto -
isto isto aqui -
tudo isto isto aqui -
loucura dado tudo isto -
visto -
loucura visto tudo isto isto aqui -
porque -
que palavra será -
ver -
vislumbrar -
parecer vislumbrar -
precisar de parecer vislumbrar -
loucura porque precisar de parecer vislumbrar -
que -
que palavra será -
e onde -
loucura porque precisar de parecer vislumbrar que onde -
onde -
que palavra será -
ali -
ali mesmo -
além ali mesmo -
ao longe -
ao longe além ali mesmo -
a custo -
a custo ao longe além ali mesmo que -
que -
que palavra será -
visto tudo isto -
tudo isto isto -
tudo isto isto aqui -
loucura porque para ver o que -
vislumbrar -
parecer vislumbrar -
precisar de parecer vislumbrar -
a custo ao longe além ali mesm o que -
loucura porque precisar de parecer vislumbrar a custo ao longe
além ali mesmo que -
que -
que palavra será -
que palavra será"
(Samuel Beckett, What is the word.)

5 comentários:

konde disse...

Pioravante marche. Abraços.

porfirio disse...

boa tarde martim
.
.
.
depois disto tudo
aqui aqui aqui
.
nada mais a dizer senão
:
BECKETT
.

abraço

Anónimo disse...

Concordo. S.B. é um "must". Até sempre...

Francisca Manson disse...

Nunca li nada desse escritor. Boa-tarde mansónica.

martim disse...

obrigado pelo apreço manifestado face a uma literatura exigentemente espantosa.