2006-04-11

misticismo com Judith Teixeira


MISTICISMO
Paixão
O céu negro e plangente está chorando
sobre o rosto bendito de Jesus,
e a multidão fugindo e ululando
sentiu o chão tremer aos pés da cruz!
A natureza arfa resfolgando...
E o doce olhar do Mártir não traduz
toda a dor da sua alma agonizando,
nas lágrimas caídas, feitas luz.
As rochas do Carmelo e do Líbano
estremecem num pavor vivo e humano...
A turba ao longe brama como louca!...
Então Jesus exclama: - tenho sede!
E um braço vil que dessa onda excede,
lança o amargo fel na sua boca!...
(Judith Teixeira, Castelo de Sombras, 1923.)
2

6 comentários:

Su disse...

isto poderia ser em qualquer lugar... com tanta gente....

"E um braço vil que dessa onda excede,/ lança o amargo fel na sua boca!..."

jocas maradas

francisca manson disse...

Não podia.... não tem negros. boa-noite!

porfirio disse...

:

e por momentos aparenta
que judith trespassa o atlântico
e
amamenta continentes
.

abraço

a.s. disse...

olá martim ;)

um beijinho para ti

alice

konde disse...

É da quadra e excepcional esta Judith! Abraços...

Francisca Manson disse...

Este poema pascal é muito bonito!