2006-03-04

retracção


Em Che cos'è la poesia?, Jacques Derrida fala da poesia como "douto inconsciente da Verdichtung e da retracção" e como "um trajecto único de múltiplas vias."
uma palavra
enrola-se dizendo-te
sendo corpo de ti
mostrando-se
a escrita em si.
assim nas mãos
paradas
as coordenadas
do sangue e do amor.

6 comentários:

porfirio disse...

boa noite martim

...Derrida é (era) um visionário, se bem que quanto à poesia deveria ter arrumado os bisturis e justificá-la (ainda mais grave) com toda essa terminologia metálica...porém, continua a ser um visionário. assim prefiro do que vê-lo como cirurgião de «doutas» palavras.

abraço

spartakus disse...

lapidar. o derrida. b'dia.

Mendes Ferreira disse...

as coordenadas das areias....

derrida no sangue. a perpetuar-se...


obrigado.

beijo Martim.

Daniela Mann disse...

Olá Martim, é a primeira vez que espreito este seu blog e fiquei fascinada!
Muito interesante!
Um abraço,
Daniela.

Anónimo disse...

Que belas mãos!

Francisca Manson disse...

realmente....tem umas mãos muito interessantes...