2006-03-05

portas de alconchel












esperando sempre às portas de alconchel
pelo momento secular que teima em não vir...
o silêncio agride a memória e lembra
que as palavras libertam.
contra o cansaço
o sangue escorre dos muros e do vazio
o pêndulo oblíquo da história vem ao coração
e nada diz ainda dos velhos gritos
que claramente ouço no tímpano que desce ao rio
sem lavar esta fenda na eternidade.
espero-te junto à boca, vês?

7 comentários:

spartakus disse...

eu num...mas seja. bom dia.

Mendes Ferreira disse...

e é verdade Ave....era um post mt vergiliano....:)

como uma fenda que descobrisse q.q.claridade....mas o poço aproxima-se....

beijo.

Daniela Mann disse...

Martim, muito lhe agradeço a visita e o comentário tão gentil deixado no meu blog!
Voltarei com certeza!
Até breve,
Daniela.

Daniela Mann disse...

Martim, muito lhe agradeço a visita e o comentário tão gentil deixado no meu blog!
Voltarei com certeza!
Até breve,
Daniela.

konde disse...

Lá estaremos!

porfirio disse...

boa noite kamarada

abraço

Francisca Manson disse...

Olivença é Portugal...