2006-09-20

na avenida alberto sampaio


na avenida alberto Sampaio
quando me sento no café habitual
espremo os olhos no macadame
à escuta do caminho de outrora
nem caroço nem árvores
nem conversa do vento
só um sopro breve e ácido
e uma estranha diferença
que se repete ao ritmo rápido
dos carros que passam e investem
contra o meu corpo e pensamento
assim gastos e passantes.

12 comentários:

konde disse...

Soberbo, acho! Abraços!

Franceska disse...

Lindíssimo e beijos!

konde disse...

Deste gostei especialmente, certo? Abraço de sempre!

duke disse...

Sonoro e tocante poema. Abraços...

V.F. disse...

Gostei, parabéns!
... a avenida do caroço, ou 28 de Maio...

herculano da costa disse...

Olá!
Deixou de publicar-se a "Ave Azul"?
Fico com pena...
Abraço
hc

martim disse...

caro herculano, não propriamente. o ritmo está é mais lento, vítimas que somos do desapoio e da erosão. prepara-se o nº 10, sobre branquinho da fonseca e rodrigo emílio. abraço. mgs

hfm disse...

da poética!

a voz disse...

Alberto Sampaio e as suas 'Vilas' merecem respeito, mas a Avenida 28 de Maio, também, porque essa data é um facto histórico que, goste-se ou não, pertence à Memória colectiva dos portugueses, e viseenses.

Mendes Ferreira disse...

-----sempre passante. por aqui. pela avenida das palavras sábias.
onde nada é efémero.
onde a beleza é permanente.


sempre renovada. renovadora.


beijo. Martim.

martim disse...

Claro, Marius, é bom não escamotear a história e o 148º dia no calendário gregoriano (149º, em anos bissextos), principalmente agora, em época de desestruturação do hipocampo. Com a memória sempre, sabendo, com Bernardo Soares, que um dia "descerá a noite e chegará a diligência". Quanto ao meu texto, dá-lhe objectividade com a tua subjectividade. Aquele abraço!

a voz disse...

Martim Lourenço

Como reconheci n’ A Voz, o Poema é ao Café, não à rua.
Mas, ‘a oportunidade é que faz o ladrão’, e não resisti...
Abraço.

PS - Já agora, é (ainda não mudou de instalações?) na Avenida Alberto Sampaio, pois claro, que está a famosa Tipografia Guerra, de Viseu.