2006-09-01

figueira da foz

sorolla
ainda no teu vento
a luminosa juventude
entre o néon e o aço
das esplanadas pela noite
ainda ouço este lugar perdido
longe e perto o mar do corpo
quando em mim ainda o sopro
que oblitera o dia e o renova
no orvalho quente do encontro
então outro mar e outra resina
corpo no corpo se constroem.

3 comentários:

konde disse...

Figueira, sempre! Abraço!

sabr disse...

será, será...boa tarde Martim. Abraço.

Su disse...

ainda ouço este lugar perdido
longe e perto o mar do corpo

amei ler.te
jocas maradas de a.mar