2006-12-10

as palavras

poderia a palavra cair no lago fundo
a pique sobre o bosque sublimado
ou o lume raro esventrar o corpo
silenciando o momento a velha usura.

nem nunca uma palavra tanto disse
dizendo diferente com ipseidade.

rara palavra buril sem buril caindo
dentro da noite outra palavra sendo.

palavra dizendo a palavra minha
que recolho no corpo teu.

11 comentários:

Susana Barbosa disse...

Belíssimas as palavras à Isa.

duque disse...

Belo, de facto...

amadis / pintoribeiro disse...

Pois. Bom dia, abraço.

Mendes Ferreira disse...

bom dia Martim...vou ser enfática:

não mereço mas agradeço.


(aliás quando abri a ave azul nem queria acreditar....só não morri...porque já estou morta...)


beijo.


sem palavras. as tais.
as que me deixam ao frio. no frio dos montes...

Anónimo disse...

Da beleza do encontro das palavras.

Su disse...

gosteiiiiii
jocas maradas de palavras

konde disse...

Mais uma arte poética? Adorei...

duk disse...

Recolho também estas palavras. Abraços...

Anónimo disse...

Belíssimo momento... Parabéns. A. Breda.

teresamaremar disse...

As palavras... poderosas, sempre.

Mendes Ferreira disse...

enviei mail....










acaso recebeu'



OBRIGADA.