2007-12-08

if

como no poema de kipling, amiga, serás capaz
de olhar em volta crendo em ti sem desmesura
não perdendo a calma que te assiste. o olhar se
nasce sem dominação racional ou impostura é
brilho de lei que estilhaça vulgar usura, falsos
raios declinando-te nos dedos com que crias.
secreta alma, se apelo ouves, sê assim pacífica,
que demolindo gelo ouvirás voz que persiste,
indómita vontade que não cede outro sorriso.
se assim és, amiga, descansa nestas palavras.

3 comentários:

hora tardia disse...

se descanso existisse.




bom dia Martim.



beijo.

duke disse...

Interessantíssimo, Martim poeta...

Susana Barbosa disse...

if. profundo. belo.
bjo