2007-12-19

de repente

de repente uma estrela vem-te à mão
e do fogo larvar só matéria purulenta
inundando o verde frasco a gaveta
afundada no fundo estômago. eis-te,
pouco mais que fungo pesando longe
fora do tempo como inexistência breve.

de repente nem de ti uma imagem
ou sopro injectado no fígado acossado.

4 comentários:

Anónimo disse...

de repente de novo o verbo. O seu.
matéria de que me alimento. e me faltava...

de repente a palavra certa.

que me faltava. de repente.
existência. onde repouso.





beijo Martim.


y.

hfm disse...

de repente o novo dia lavará o fungo e incólume respirarás.

duk disse...

Feliz regresso! Abraço!

Su disse...

de repente..............aqui estou eu,,,,,,,,,

feliz natal e que o ano novo seja o melhor


jocas maradas e natalicias