2007-10-01

evidência

muito cedo o outono chegava como hoje
e da linha das águas uma mesma casa
declinava sobre o meu peito em silêncio.


também a custo o sol rompia a memória
iluminando a destreza do sangue dentro
dos labirintos e das grutas por romper.

na mão tenho um destino um incêndio
em que arderemos nus no chão da terra.

6 comentários:

Anónimo disse...

..soubesse eu comentar a "evidência" do Belo.


assim contido.


...não sei.


só posso sentir.

e levar esta evidência para o lado da alma.


beijo. de bom dia. Martim!

Y.

Jacinto Figueiredo disse...

É evidente!!!
abr. Mestre Martim

hfm disse...

Tão evidentemente sublime!

duke disse...

Muito belo mesmo! Abraço dukal!!!

veritas disse...

Então que este outono traga consigo o eterno movimento da regeneração...

Bjs. Boa semana.

conde disse...

Especial evidência que leio com saudade do ... futuro.