2007-10-30

amanhece

ardes assim debaixo das vides
e nem a pique a carne prisioneira
é gota rubra contra a faca do dia.

6 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

por um só dia gostava de um dia saber "amanhecer" assim.....




a pique sobre a palavra.


apenas a necessária.



bom dia Martim.


rubro. sobre as facas de uma poética sempre R U B R A.

Anónimo disse...

seguiu.




/o que lá está é uma tentativa de/

e foi o que mandei....como "amostra".



____________________


obrigada.




y.

Anónimo disse...

seguiu.




/o que lá está é uma tentativa de/

e foi o que mandei....como "amostra".



____________________


obrigada.




y.

hfm disse...

forte, sensual e belo.

Su disse...

gostei deste amanhecer a pique:)

jocas maradas

duke disse...

É manhã no Tejo. Abraço!