2006-06-19

O poeta Bocage teve contacto com algum inconfidente?



Revista Nossa História, nº 32, junho 2006, p.96

Pergunta do Leitor:

“O poeta Bocage teve contato com algum inconfidente?"

Danielle Silva dos Santos, Rio de Janeiro-RJ

ADELTO GONÇALVES, professor na Universidade Santa Cecília e no Centro Universitário Monte Serrat, RESPONDE:

Sim, o poeta Manuel Maria de Barbosa du Bocage (1765-1805) teve contato com o padre José da Silva de Oliveira Rolim (1747-1835), durante o tempo em que permaneceu detido no Convento de São Bento da Saúde, em Lisboa, de 17/2/1798 a 12/3/1798 , por ordem do Tribunal do Santo Ofício. Na seção de Reservados da Biblioteca Nacional de Lisboa, pode-se ler no Dietário do Mosteiro de São Bento, códice 731, fl. 8, a anotação que o frade Dionísio de São Miguel fez, registrando a entrada de Bocage, que passaria a contar com a companhia “de seis expatriados e um preso de Estado do julgado levantamento de Minas Gerais”, o padre Rolim, que ali estava cumprindo pena havia dois anos.

Acusado de escrever “papéis ímpios, sediciosos e críticos”, Bocage foi detido a 7/8/1797 e encaminhado para a prisão do Limoeiro, onde permaneceu até 14/11, dia em que foi transferido para o cárcere da Inquisição, no Palácio dos Estaus, no Rossio, onde ficou até ser levado para o Convento de São Bento. Saindo do Convento, Bocage ficou à disposição da Intendência Geral de Polícia, que o transferiu para o Real Hospício das Necessidades, onde o poeta permaneceu até o último dia de 1798. No mesmo códice, fl. 15, pode-se ler carta em que o ministro José de Seabra da Silva mandou “alargar mais a prisão, não só do sobredito Bocage, mas também a do padre José da Silva (de Oliveira Rolim), preso de Estado, pelo bom comportamento de ambos, desde que vieram para este mosteiro”. Com o verbo “alargar”, o ministro estava apenas recomendando que se “afrouxasse” o cumprimento da pena de prisão de ambos.

_____________________

Adelto Gonçalves é doutor em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo e autor de Bocage: o Perfil Perdido (Lisboa, Caminho, 2003).

5 comentários:

pintoribeiro disse...

Curioso...bom dia Martim, bom dia.

Mendes Ferreira disse...

os meus primeiros estudos foram ali....em Setubal....ao lado do Sado... e naquele tempo Bocage andava connosco....
que bom reencontrá-lo. aqui.

beiji Martim.

Franceska disse...

Bocage é um grande escritor, um poeta encantador... Beijos!...

marakoka disse...

gostei de saber
jocas maradas

anA disse...

Estive por aqui e demorei.
Procurava mais sobre Adelto Gonçalves . Ele Fez um trabalho sobre Camilo Pessanha e publicou um trabalho meu. (http://www.tlaxcala.es/pp.asp?reference=5469&lg=po.
Tambem acho Bocage um grande poeta, que merece que se tire o rotulo de obsceno.
anA