2006-02-17

entre paredes

entre paredes a luz de riefenstahl
corta a porosidade do dia
e restitui à memória o tempo
que já não existe fora dos olhos.

então com os olhos vestes de animal o corpo por ti moldado.

4 comentários:

Mendes Ferreira disse...

assim moldada a tarde por palavras quase fora deste tempo levo nos olhos o olhar vestido do mais puro vegetal...

boa tarde Martim.
mais não ouso dizer.
um bjo.

spartakus disse...

ahh bem...a minha querida léni...um abraço Kamarada.

Francisca Manson disse...

imagem muito interessante.
o texto não fica atrás...

sonia r. disse...

Muito bonito!!
Boa noite Martim.
Bjo.