2008-02-20

declinação

cedo a superfície da pele rebenta
mal aguentando a pressão visceral
e a declinação a pique dos líquidos.

torrencial um jacto de fogo inunda
a medula e a queimada absorve
o cérebro o possível equilíbrio.

fundo poço sem fundo chama
ardente pelo esfacelado corpo
que abraça na queda a vertigem.

sempre caindo fundo sorriso cava.

3 comentários:

duk disse...

Venham as palavras, amigo!

Susana Barbosa disse...

bjo Martim!

konde disse...

Vale bem sorrir...