2007-05-22

língua azul

ouve-se o grito o silvo.

nada esperes agora -
sete agulhas rompem
o flanco descarnado
e os ossos dilatam
os poros a língua azul.

secretamente a flecha
no teu coração brilha
no lugar do bronze.

escrevo assim a parte
de ti saída derradeira
gota de orvalho no chão.

6 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

escrevo assim a parte
de ti saída derradeira
gota de orvalho no chão....
__________________________


descarnadas assim as palavras
evolam-se do chão. para ultrapassarem distâncias.
e como setas chegam felinas e dilatadas ao coração.


_____________________-bom dia. beijo Martim.


mais?


só a minha admiração.

isabel mendes ferreira disse...

e de repente rimei....:)))).

sem querer....


que coisa...



deve ter sido de comoção.

_______________

(sorriso).

hfm disse...

Já tinha saudades... belíssimo1

morffina disse...

Não sei se gosto do alvo,no entanto, o sibilo foi bonito.

Abraço
MF

duke disse...

Pois... quase tudo dito! Gostei imensamente!

veritas disse...

a flecha pode macerar quando menos se espera e quem menos se espera...
temperemos esse bronze com uma gota de orvalho...

Bjs. Bom fim-de-semana.