2006-08-30

Sarah Vaughan sings the Poetry of Pope John Paul II


Historial de um Concerto Lendário

Em 1984 realizou-se numa das maiores salas de concertos do mundo, Tonhalle, em Dusseldorf, na Alemanha, um concerto único, considerado pela generalidade da crítica internacional, como um Concerto Histórico que marca o Século XX.
O concerto nasceu do espírito do Papa João Paulo II e de um dos maiores produtores mundiais Gigi Campi. e, teve/têm como principal objectivo utilizar a música como veículo privilegiado de Evangelização , assim como a escolha de um idioma Universal, o Inglês, para levar mais longe a sua mensagem poética.

Este CD, conta com o apoio Institucional do Patriarcado. Para além da qualidade deste projecto em termos espirituais, artísticos, técnicos, e éticos, na venda de cada CD, reverte um valor monetário a dividir equitativamente por algumas instituições que em Portugal e no mundo apoiam os que mais precisam: a UNICEF, FENACERCI ( Campanha do Pirilampo Mágico ) e PAV–Ponto de Apoio á Vida (Instituição ligada á Igreja Católica de apoio a jovens grávidas, mães e bebés em dificuldades. ).

O disco encontra-se disponível nas lojas de música de qualidade. A Paramentaria e Livraria Nova Terra – Patriarcado de Lisboa, é responsável pela distribuição, e, venda em regime de consignação junto de livrarias e instituições religiosas

Nova Terra
Mosteiro de S. Vicente Fora
Campo de Santa Clara
1100-473 Lisboa
Tel: 218810568
livraria.nt@patriarcado-lisboa.pt



Depois de Portugal, a obra sinfónica com coros Sarah Vaughan Sings the Poetry of Pope John Paul II, está a encontrar em Espanha grande aceitação junto do público e da crítica musical de referência.

El Mundo realça a “ vocação lírica e de valores da poesia do Papa João Paulo II, ( Paz, Solidariedade, Esperança ) interpretada pela voz sublime de Sarah Vaughan, e de uma grandiosa e inigualável orquestra e coros sinfónicos “.
La Rázon evoca os valores da poesia do Papa ( sempre actuais ) , e, descreve em detalhe a vasta equipe com mais de 150 pessoas ( que dificilmente se voltará a reunir ) que tornaram possível este concerto único, desde Gene Lees, responsável do projecto ( durante a sua carreira trabalhou com Charles Azenavour, Bill Evans, Frank Sinatra entre muitos outros grandes artistas ), ao Maestro Lallo Schifrin ( responsável pela criação, direcção, e materialização do Projecto dos 3 Tenores , e, que graças ás suas orquestrações permitiu a parceria entre José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti ), até aos mais de 70 grandes músicos de áreas tão diversas como Jazz, Clássica, Contemporânea, Soul, Pop, Rock, Sinfónica, Coral.
Cadena 100, afirma tratar-se de “ Uma grandiosa sinfonia de Paz e de esperança no Futuro da Humanidade. “ .
ABC, descreve este concerto ao vivo como “ Histórico, e, marcante da história da música do Século XX “.
Cadena Cope, acentua a qualidade e adequação da maior actualidade dos valores da poesia de um jovem Católico, Operário ( que trabalhou na Solvay como forma de fugir á deportação para campos de concentração ) e, que veio a tornar-se o primeiro Papa não Italiano em mais de 450 Anos.
El Faro de Vigo, acentua o empenho do Papa João Paulo II na divulgação desta obra e da utilização da linguagem universal da música, e, a escolha do idioma Inglês, para levar amais longe a sua mensagem.

Tal como em Portugal, em que parte das receitas da venda do disco revertem a favor da FENACERCI, PAV – Ponto de apoio á Vida, e, UNICEF, também em Espanha parte das receitas revertem a favor da CARITAS, UNICEF e FEAPS.( Organização espanhola de apoio a crianças com deficiências mentais. )

Uma grandiosa Sinfonia de Paz Valores e Dignidade, que é também do agrado do vasto e exigente público espanhol!

Portugal é o primeiro país Europeu a editar em CD a obra Sinfónica com Coro" Sarah Vaughan Sings the Poetry of Pope John Paul II "

A História de um concerto Lendário

A 30 de Junho de 1984, realizou-se na famosa sala de espectáculos alemã de Tonhalle, um concerto considerado pela crítica mundial como um dos concertos que marcaram o Século XX.

Mais de 70 grandes músicos de 19 países, ( de áreas tão diversas como o Jazz, Pop, Word, Soul, Clássica ) acompanharam a Diva Sarah Vaughan na interpretação de um ciclo de poemas de grande espiritualidade e valores escritos por um então jovem padre Polaco, Karol Wojtyla, que veio a tornar-se no primeiro Papa não Italiano em mais de 450 anos, com o nome de João Paulo II.
Trata-se de um disco de valores que atravessam a Humanidade, e, todas as Religiões

O projecto abrangendo o concerto, e sua gravação para disco e televisão foi desenhado por um dos maiores produtores mundiais Gigi Campi, e, culminou mais de 3 anos de trabalho com uma equipe de trabalho única.

Esta Orquestra " fora de série " é dirigida pelo Maestro e Compositor Argentino Lalo Schifrin, que na década de 50 foi convidado por Dizzy Gillespie a trabalhar nos Estados Unidos. Na sua vasta carreira, para além de ter criado mais de 200 bandas sonoras para grandes filmes de Hollywood ( como Missão Impossível, Shrek ou Tom & Jerry ), destacamos o facto de ter sido o responsável pelo Projecto dos Três Tenores, José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti, criando condições estéticas e técnicas que possibilitaram cantarem juntos graças aos arranjos e orquestrações sinfónicas que desenvolveu, adequados ao tom de voz de cada um. È responsável por mais de 200 bandas sonoras para grandes filmes de Hollywood como Missão Impossível, Tom & Jerry ou Shrek, entre outras.
O Produtor Jeffrey Weber, é músico e produtor reconhecido internacionalmente, detentor de diversos Gremmy

O disco teve apenas duas pequenas edições nos Estados Unidos, em 1995 e 2000, que não ultrapassaram os 40.000 exemplares, tendo sido comercializada apenas via Internet.

O álbum contém 15 temas: 8 cantados, 6 instrumentais e 1 de instrumentais e coros. É apresntado em embalagem Digypack ( em cartão com verniz em relevo ) e inclui um pequeno livro de 28 páginas com o historial desta obra desde o seu início, assim como os poemas do Papa João Paulo II, e , ficha técnica, em inglês, castelhano e português.

Esta edição foi especialmente remasterizada para a edição em Portugal e Espanha por Jeffrey Weber e Robert Vosgien num dos melhores estúdios do Mundo, o Capitol Mastering Studios, em Hollywood.

A obra apoia ainda diversas instituições de solidariedade, pois na venda de cada CD é revertido o valor de € 1,5 a dividir equatitativamente por algumas instituições que em Portugal e no Mundo ajudam os que mais precisam: Fenacerci (Instituição que apoia crianças com deficiências mentais -Campanha do Pirilampo Mágico ); PAV - Ponto de Apoio á Vida ( Instituição que presta apoio a jovens mães e bebés carenciados ) , e UNICEF .

A empresa portuguesa LPR, orgulha-se de apresentar esta obra sinfónica em exclusivo para todo o Mundo excepto Estados Unidos.

Uma sinfonia de Paz, Valores e Dignidade.

Alguns dos poemas


RAPARIGA DESAPONTADA COM O AMOR

Podemos medir temperaturas,
medir a nossa miséria
no brilho de
uma fina linha de mercúrio,
tal como podemos obter a medida
do tempo e
dos nossos corpos.

Qualquer que seja o método
que utilizemos para as conseguir,
temos de conhecer as nossas limitações.

Mas tu, tu pensas
que és o centro,
que todas as coisas,
coisas pequenas e grandes,
giram à tua volta.

Penso que é altura de saberes:
o centro não és tu.
E aquele que realmente o é,
nem mesmo ele tem a certeza do amor.

E, porque é que não consegues ver isso?

Então para que me serve um coração?

Está lá para medir
o cosmos,
e o bater de outros corações,
e o mercúrio.

Papa João Paulo II

AS CRIANÇAS

De súbito,
parece que cresceram.
Descobrem o que é o amor
e transformam-se em adultos.
Mão na mão vagueiam,
Sem repararem nas multidões
à sua volta,
silhuetas desenhadas ao pôr-do-sol.

Seus corações são como
pássaros cativos dentro deles,
e no pulsar de cada batimento
está o pulsar de toda a humanidade.

Silenciosas, sentam-se juntas
na margem de um rio
junto de uma árvore solitária, ao luar.
A bruma não levantou,
a terra é um sussurro.

Como papagaios de papel, os seus corações
planam, acima das cabeças.
Apesar de ter sido sempre assim,
será que mudará quando por fim
seguirem o seu caminho?

Há outra forma de ver isto:
Um vaso cheio de luz é derramado
sobre uma flor,
revelando subitamente em cada um de nós
uma dimensão inesperada.
O que começou dentro de ti,
destrui-lo-ás um dia?
Ou vais guardá-lo ciosamente dentro de ti,
sabendo sempre distinguir o certo do errado?

Papa João Paulo II

O ARTESÃO DO ARMAMENTO

Não sou eu quem determina o destino do mundo.
Não sou eu quem começa as guerras.

Apenas sigo o meu caminho. Faço o meu trabalho.
Nada faço de errado.
Mas não sei.

E essa é a questão,
que sempre me atormenta.
Não quem determina,
e no entanto nada faço de mal.

Faço girar parafusos pequeninos com os meus dedos,
fabricando componentes de armas
que nos ameaçam a todos.
E ainda assim não sou eu quem determina
o destino que aparece diante de nós.

Eu poderia criar outro destino,
tornando o mundo seguro para todos aqueles
que anseiam viver a sua vida.

E então eu saberia
a razão sagrada,
o significado brilhante
da nossa existência.

Ninguém então poderia destruir-nos
com as suas acções
ou iludir-nos
com as suas palavras.

O mundo que eu ajudo a fazer
não é um mundo bom.
No entanto eu não sou mau.
E não fui eu que o inventei.
Mas será isso suficiente?

Papa João Paulo II


Alinhamento e Ficha Técnica

Alinhamento
1 The Mystery of Man
2 The Mystery of Man ( Instrumental )
3 The Actor
4 The Mystery of Man Instrumental
5 Girl Disappointed in Love
6 The Mystery of Man ( Instrumental )
7 The Madeleine
8 The The Mystery of Man ( Chorus and Instrumental )
9 The Black
10 The Mystery of Man ( Instrumental )
11 The Children
12 Let it Live ( Instrumental )
13 The Armaments Worker
14 Toward the Light ( Instrumental )
15 Let it live



Ficha Técnica

Musica — Tito Fontana e Sante Palumbo excepto nos temas The Mystery of Man e Toward the Light , música de Francy Boland, Let it Live, música de Lalo Schifrin

As letras são adaptações para o inglês por Gene Lees de poemas de Karol Wojtyla, exceptuando os temas The Mystery of Man e Let it Live, que são letras originais de Gene Lees

Edition Cawoo-Campi Music, KLON. 1984 GEMA, por gentileza Libreria Editrice Vaticana, Hutchinson Publishing Group, London.

Voz Sarah Vaughan
Arranjos Francy Boland
Orquestra dirigida por Lalo Schifrin
Solista convidado no tema The Black: Bernard Ighner

Álbum e concerto concebidos e produzidos por Gigi Campi

Produtor Executivo Janet Westcott Lees
Produtor Consultivo Jeffrey Webber
Engenheiro de som Wolfgang Hirschmann

Masterizado por Robert Vosgien, Capitol Mastering Studios, Hollywood California , em Maio de 2005

Copyright 2005 - LPR, Ldª. – Rua Cipriano Dourado, 18 – 1º Dtº. 1600-428 Lisboa – Portugal
Tel / Fax: +351217580736 – lpr.cultura@netcabo.pt – www.lpr-pt.com – All rights reserved / Todos los derechos reservados / Todos os direitos reservados
Tradução para Português e Castelhano Maria Amelia Chabert
Art Direction and Design Dasein
Fotografia Bettmann, Corbis, Zefa

Orquestra
Trompetes
Benny Bailey, Rick Kiefer, Idrees Sulieman, Art Farmer, Rolf Ericson, Klaus Osterioh
Trombones Bart Van Lier, Henning Berg, Otto Bredl, Jiggs Wigham, Erik Van Lier.
Saxofones Ferdinand Povel, Tony Coe, Sal Nistico, Gianni Basso, Sahib Shihab
Piano Bobby Scott ou Francy Boland
Baixos / Contra-baixo Jimmy Woode, Chris Lawrence
Percussão Sadi, Hans-Joachim Schacht
Trompas Thomas Baumgartel, Andrea Joy, Ludwig Raft, Hubert Stale
Tambores Edmund Thigpen
Flautas, clarinetes, oboés e fagotes Claus Boden, Andreas Bossler, Bernd Holz, Karin Levin, Jonel Radonici, Michel Riessler, Harald Rodde, Markus Strohmeyer
Violinos, violoncelos, contabaixos e violas Mischa Salevic, Hans Buttner, Christoph Bujanowski, Kurt Collinet, Andreas Grote, Bernhard Holker, Andrea Heuschke, Burkart Heuschke, Albert Juny, Maria Jelmer, Joachim Krist, Bruno Klepper, Jurgan Kachel, Michael Kurkowski, George Lindermann, Silvia Menn, Rainer Platte, Gudman Pasz, Ines Pasz, Heins Pens, Annette Read, Ludwig Rast, Uwe Schmeisser, Jerzy Szopinsky, Ismene Then-Bergh, Siedfried Thuning
Coros Cary Wilson, Ken Barrie, John Evans, Joan Baxter, Lee Gibson, Norma Winstone

Agradecimentos Melanie Ciccone, Thomas Evered, Jeffrey Webber; Fernando Pereira, Jorge Portela, Pedro Merlini e a sua equipe da Labesfal, Codipor; SPA; João Maria; Catarina, Vasco e Leão da Dasein; João Loureiro-LGP; Dy , João Domingues da Topfilm, Carmo Cruz, Isabel Vasconçelos, Maria José Leonardo , Clara Castro da ZEFA..


Francisco Filipe Cruz
LPR - Senior Partner
+351 - 964018915
fran.cruz@netcabo.pt
francisco.cruz@lpr-pt.com
www.madredeus.com
www.antoniochainho.com
www.thespiritofthedance.com




6 comentários:

sabr disse...

No mínimo curioso. Bom dia, abraço.

hfm disse...

Mas que texto!

porfirio disse...

:
sabia que karol era poeta
tenho até o «Tríptico» saído há uns anos,
mas desconhecia estes poemas
que no mínimo são soberbos

e a música
:
óptima sugestão!

aquele abraço

Mendes Ferreira disse...

e pronto. não resisti.


e agora é mesmo um adeus de até breve.

beijos.

konde disse...

Obrigado pela informação! Abraço!

Ai meu Deus disse...

Pelos frutos, diz a Bíblia, conhecereis a árvore. Virando ao contrário a Escritura Sagrada, eu diria "pela árvore conhecereis os frutos". E, aplicando o dito a SS JP2 -- que é como quem diz a Sua Santidade João Paulo Segundo -- dizia eu que, aplicando o dito a SS JP2, do que foi tal árvore não pode ter saído bom fruto. Poesia de SS JP2?! SS JP2 poeta?! poeta?!

Ó martim, desculpa-me lá, mas... SS JP2 poeta?!