2005-11-01

no fio da navalha

cai no chão o corpo espacejado. nem lâmina ou gume o corrompe. pesado jaz no jardim. estátua morta desafia os céus e o voo ácido das pombas. no horizonte ondulam sinais de bronze. a morte eterna vem agora no volteio das folhas outoniças. súbito o vento empurra a folhagem e mostra o brilho frio. a pedra amolece contra a rajada. um pouco de morte ainda. dentro da noite.

8 comentários:

Anónimo disse...

Daily Nightly: Bird flu, Senate drama and more
The Daily Nightly began on May 31, 2005. As Brian wrote in his first post it aims to provide a narrative of the broadcast day and a window into the editorial process at NBC Nightly News.
Sweet blog I liked it!

If your interested in discount golf club come check out my discount golf club blog.

Mendes Ferreira disse...

"o voo ácido das pombas"...um voar sempre tão denso dentro das palavras....estátua a desafiar a melancolia.Martim....posso dizer? escreve/diz/grava/descobre tão bem a Palavra. bjo.

porfirio disse...

de bradar aos mortos... e o gume outonal não se afia nas rochas esponjosas mas brilha com o ácido residual gotejado pela articulação das asas em esforço.
voa martim voa até ao cume da navalha.

1 abraço

Pinto Ribeiro disse...

com facas num kero....

Mendes Ferreira disse...

oh PR és medricas????????????:)

Pinto Ribeiro disse...

............. desculpa lá a resposta, Martim.

Mendes Ferreira disse...

bom, vim só pedir desculpa...ao Martim por estar a responder aqui ao PR e ao PR por estar aqui a brincar com o seu(dele) eventual medo das facas....prontos. espero que agora o PR fique mais sossegado e o Martim menos "incomodado"...e boa noite.

martim disse...

estamos absolvidos e a nuca do mar está na concha, meus camaradas.