2005-10-22



é tão difícil dizer o corpo. assim estas imagens, iguais, o tornam fácil.
quem deste modo, quem?

5 comentários:

Anónimo disse...

Thank you for the informative blog
Here is some additional resources for Toolbars and included is a list with Most all toolbars now used.
Toolbar if you or your readers are interested

Anónimo disse...

arte facto. reflexo de mim em mim. Diz-se melhor em dobro? Como repetir aguça o engenho da simplicidade! Gémeas, clonadas? Faz tanto e tanto faz.
JCosta (1 dos "Anônimos")

martim disse...

amigo Jerónimo, em dobro mais se gera a "força patética" (Jean Cohen), isto é, poética. afinal, como um refrão, não achas?

Pinto Ribeiro disse...

o corpo não existe. bom dia.

pn disse...

bis placent repetita...

e o corpo agrada na repetição?
e a imagem repetida torna-se refrão?
a iteracção quanto difere da interacção? (pobre n...)
duplicar não é iludir?
haverá uma espécie de aliteração no corpo repetido?
e anáfora?
e a ilusão perder-se-á, extáctica, climática, no monotom da vez única?
o corpo existe. bom dia. e pulsa. bom dia é o dia em que o corpo e o espírito comungam do mesmo mel, na sede(a) anímica do voo azul, o do metainfinito...